Allan Turnowski, ex-Secretário de Polícia Civil, fala sobre atuação das UPPs em podcast

22 de outubro de 2022 Off Por Portal do Gida

Allan Turnowski falou sobre diversos temas polêmicos durante entrevista no podcast Portal do Gida. Para começar, ele menciona que diversos mitos existem na segurança pública, e que falar publicamente sobre esses ocorridos pode acarretar graves consequências.

Segundo ele, a sociedade precisa desmistificar alguns mitos sobre a segurança pública, mas, atualmente, diversos empecilhos surgem para que essa missão seja cumprida. Dessa forma, ele fala um pouco sobre sua origem, afirmando que seus avós, de origem polonesa, vieram para o Brasil através de navios de refugiados.

Além disso, ele acredita que algumas características da sua personalidade são advindas da religião. Sendo assim, ele tem interpretado certas situações com um olhar judaico, especialmente quando falamos de casos onde algumas portas são fechadas, mas, não compreendemos de início o porquê daquilo ter ocorrido. 

Em seguida, ele falou sobre algumas operações que ocorrem em diversas comunidades no Rio de Janeiro, afirmando que, desde 2013, passou a viver combatendo o crime na cidade. Inclusive, ele cita que foi nomeado chefe de polícia em 2009, onde acreditava que algumas ações de investigação da polícia investigadora não deveriam existir na época dos fatos.

Allan Turnowski fala sobre combate ao crime em podcast

Neste sentido, ele acredita que as investigações não surtiram efeito, uma vez que, devido a polícia ser pacificadora, não eram tomadas ações para consertar os erros que ela possuía. Inclusive, ele menciona que tais investigações sequer possuíam o intuito de corrigir qualquer problema relacionado à polícia.

Dessa forma, a situação relacionada às UPPS não chegou a público, pois se tratava de uma discussão interna sobre a atuação da polícia pacificadora. Na época, houve um grande confronto com as armas e drogas, mas, as comunidades se afastaram da polícia devido a retomada de muitas comunidades no tráfico intenso de drogas.

Sendo assim, ele menciona que, devido a confiança que a população tinha na polícia, muitos falaram sobre a situação da comunidade. Porém, com a retomada do tráfico, muitos moradores passaram a ter medo de serem perseguidos, onde seria necessário investigar o que de fato ocorria nessas comunidades.

Além disso, ele fala sobre a quantidade de UPPs que foi instaurado no Rio de Janeiro. Isso porque houve uma grande inserção de unidades nas comunidades, mas, a quantidade exacerbada acabou atrapalhando a atuação da polícia nesses locais, especialmente porque os infratores e traficantes não eram presos devidamente, isso quando eram presos.

Por isso, devido ao atrapalho da polícia, muitos criminosos começaram a migrar para outras regiões, onde não eram importunados pela ação policial. Dessa forma, uma onda de criminalidade surgiu no Rio de Janeiro, principalmente devido à falta de foco na atuação da polícia.

Finalmente, ele afirma que as UPPs fracassaram no combate ao crime e, consequentemente, houve índices históricos de criminalidade no Rio. Por isso, houve uma intervenção federal para controlar a situação, onde foi possível perceber uma melhora nos índices. Além disso, ele menciona que, atualmente, a situação continua pacífica, onde os índices de criminalidade estão estagnados no Rio de Janeiro. 

Leia mais: Sargento Sansão fala sobre supostos surtos no Portal do Gida