Cabo Thiago Fonseca fala sobre a falha das gestões cariocas na atuação da polícia, durante entrevista em podcast

23 de setembro de 2022 Off Por Portal do Gida

Pertencente à equipe que mais apreendeu drogas no Rio de Janeiro, Cabo Thiago Fonseca falou sobre sua experiência durante entrevista ao podcast Portal do Gida. Segundo ele, sua origem humilde foi suficiente para buscar uma vida nova, e por isso ele decidiu começar a sua carreira como policial militar. Para ele, a experiência de ser pai aos 18 anos foi revolucionária em sua vida.

Devido a esta situação, ele decidiu fazer a prova da polícia militar. Ele fala que o maior incentivo que recebeu foi a preparação para a prova, e ainda menciona a importância de se preparar para esse tipo de prova. Para ele, a experiência de entrar muito novo na polícia é algo único, e que pode assustar em um primeiro momento. Isso porque ele define a função como uma guerra, onde os policiais são surpreendidos com uma realidade que poucos conhecem.

Para ele, a experiência de ser policial mostra como funciona a guerra entre a criminalidade e a polícia militar, especialmente no Rio de Janeiro. Além disso, ele acredita que os governos políticos influenciam muito na ação da polícia. Isso porque o governo que investe, nem sempre é continuando na próxima gestão, e isso é um grande empecilho contra o combate à criminalidade.

Segundo ele, o governo de Sérgio Cabral foi um modelo contra a criminalidade no Rio de Janeiro. Isso porque sua gestão favoreceu a vida das pessoas nas comunidades, dando apoio a diversas crianças que, anteriormente, não possuíam boas referências dentro da comunidade. 

Cabo Thiago Fonseca acredita que a gestão governamental afetou a polícia

Segundo ele, a mudança de governo foi crucial para afetar a polícia do Rio de Janeiro. Em 2008, com o início do governo de Sérgio Cabral, novas instalações e projetos foram direcionados à OPP, com grande foco desde a investir numa cidade segura. Entretanto, a mudança no governo seguinte começou a desorganizar a situação da polícia, que passou a estar cada vez mais instável com a mudança.

Além disso, ele acredita que as leis não favorecem a vivência dos policiais, pois a percepção da população em alguns casos, como quando um policial é assassinado, demonstra que há pouca clareza em relação a atividade prestada pela polícia.  Por outro lado, ele decidiu responder sobre uma possível reformulação penal.

Ele acredita que existem muitos problemas na sociedade brasileira. Isso porque o sistema penal não é eficiente, pois não consegue ressocializar os presos, e sequer possui estrutura adequada para isso. Para ele, os pequenos delitos são frequentes no Brasil, mas existe uma falha na investigação dos crimes.

Dessa forma, ela cita um episódio onde apreendeu um menor devido ao porto de maconha. Dias após o ocorrido, ele foi repreendido devido ao ocorrido, onde o acusado afirmou ter sido violentado durante a sua prisão. Em seguida, ela fala que suas prisões ocorrem de maneira pacífica, que não é violenta durante a sua atuação, pois acredita na importância do diálogo.

Por fim, ele afirma que a criminalidade ocorre devido a coação dos traficantes sob alguns usuários, ou até mesmo moradores das comunidades. Hoje, ele acredita que o sentimento de impunidade é o responsável por fazer muitas pessoas entrarem no tráfico ou no crime, devido a percepção de que não serão punidas.

Leia mais: Vanessa Fontana abre o jogo e fala sobre sua atuação na Rocinha em Podcast